PF e MP prendem 26 policiais militares do Rio associados ao tráfico

PF e MP prendem 26 policiais militares do Rio associados ao tráfico


Ao todo, 81 pessoas foram presas nesta terça-feira (16) em uma grande operação realizada pelo Ministério Público do Rio em conjunto com a Polícia Federal e agentes da Coordenadoria de Inteligência do MP, com a finalidade de cumprir 100 mandados de prisão e 191 mandados de busca e apreensão, para desarticular uma organização criminosa que atua nas cidades de Volta Redonda, Itatiaia e Resende, no sul fluminense.

Leia também
Policial Civil é julgado em audiência de custódia após intimidar taxistas com arma
Pernambucano que se passava por policial civil é preso em Alagoas


O esquema envolvia 32 policiais militares do 28º batalhão da PM (Volta Redonda), acusados de associação criminosa armada, corrupção, tráfico de drogas, roubo, além de envolvimento com traficantes em troca da permissão do comércio de drogas nos três municípios. Do total de presos, 26 são policiais militares. As ações foram desdobradas em duas: a Operação Sideros, contra os policiais militares e 57 traficantes da cidade de Volta Redonda, e a Operação Confinados, contra 13 traficantes de drogas de Itatiaia e Resende.

Ligação com o tráfico
A denúncia do MP apresentada à Justiça revela que os grupos de traficantes desempenhavam suas ações ilícitas graças à conivência de policiais lotados no 28º BPM. Os militares corruptos não coibiam a venda de entorpecentes e, em conjunto com traficantes de drogas, promoviam o voto para favorecer político de interesse do tráfico, além de atuar no assassinato de traficantes inimigos que também atuavam na região.

Com base em escutas telefônicas, o MP informa na denúncia a ousadia dos traficantes de drogas. Um traficante reclama que os policiais estão “chatos”, pois encostaram duas viaturas, interditando a via pública e parando carros. Em seguida, os próprios policiais devolvem a droga e exigem dos traficantes o pagamento de R$ 1.500. Um outro trecho da denúncia aponta um episódio em que um traficante lamenta pela droga apreendida que transportava. Neste caso, o policial cobrou R$ 5 mil para liberar o entorpecente.

Em outro episódio, o valor pago a um policial militar para o resgate das drogas foi de R$ 500. Também há relato sobre o pagamento de propina, quinzenalmente, no valor de R$ 5 mil para os policiais corruptos. Todos esses relatos fizeram parte da denúncia encaminhada à Justiça para autorizar a ação. Em nota, a assessoria de imprensa da Polícia Militar confirmou que 26 policiais foram presos durante as operações desencadeadas nesta terça-feira (16), nas cidades de Volta Redonda, Resende e Itatiaia, em conjunto com o Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público. Os policiais já estão sendo conduzidos para a Unidade Prisional da Corporação, em Niterói, e estão à disposição da Corregedoria da corporação.

Fonte: Folha PE
Axact

Tiago Coelho

Olá, Sou Criador do site rede anuncio, uma revista online de notícias de Pernambuco.

Post A Comment: